Brasil Principais Notícias

Exposições, trilha e palestra para comemorar o Dia dos Povos Indígenas

Jardim Botânico realiza série de atividades gratuitas no mês de abril

O Dia dos Povos Indígenas é comemorado em 19 de abril, como uma forma de reconhecer os direitos dos povos originários do território brasileiro e valorizar sua contribuição para a sociedade. Para celebrar a data, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro promove atividades para o público. Confira abaixo! 

· De 15 a 19/4 
Semana dos Povos Indígenas na Biblioteca Barbosa Rodrigues – Onde as raízes do conhecimento encontram as asas da imaginação . Esta é uma oportunidade para explorar uma coleção cuidadosamente selecionada de obras que iluminam os costumes milenares, as festividades vibrantes e os modos de vida dos povos originários desta terra, conhecer lendas que não são apenas histórias, mas ensinamentos passados através das gerações, e entender o uso sustentável dos recursos naturais praticado pelos indígenas, um conhecimento ancestral que ressoa com urgência nos dias de hoje. 
Horário: das 9h às 12h e das 13h às 17h. Entrada gratuita.

· 19/4 
Das 9h às 16h – Os Saberes Revelados das Abelhas Nativas pelos Nossos Povos Indígenas – A atividade, conduzida pelo Serviço de Educação Ambiental (SEA), terá início na sede do SEA (atrás da bilheteria principal), com roda de conversa sobre povos originários e sua relação com o mel. Em seguida, será feita uma trilha até o Meliponário (coleção de colmeias de abelhas sem ferrão) do Jardim Botânico. 
Para participar, é preciso agendar pelo e-mail: educativo@jbrj.gov.br 
A atividade é gratuita, havendo apenas cobrança de ingresso para o Arboreto. Pagamento na bilheteria apenas em dinheiro. Ingressos online pelo site jbrj.eleventickets.com com pix ou cartão de crédito. 

10h – Trilha de Sexta: Trilha Indígena . Última chance este ano para aproveitar a Trilha Indígena guiada e gratuita. No trajeto, o visitante conhece 17 espécies vegetais cultivadas no arboreto do Jardim, como a vitória-régia ( Victoria amazonica ), o urucum ( Bixa orellana ), o açaí ( Euterpe oleraceae ) e o manacá ( Brunfelsia grandiflora ), entre outras. Essas espécies são utilizadas e manejadas há centenas de anos por diversos povos indígenas no Brasil. 
Ponto de encontro: Centro de Visitantes. Não é necessário agendamento prévio.

A trilha é gratuita, havendo apenas cobrança de ingresso para o Arboreto. Pagamento na bilheteria apenas em dinheiro. Ingressos online pelo site jbrj.eleventickets.com com pix ou cartão de crédito.

Leia também: Governo cria comissão para impulsionar materiais didático para alunos indígenas

14h30 – Roda de conversa “Etnobotânica apoiando as Pesquisas Colaborativas e Interculturais na Amazônia Brasileira” , com a pesquisadora Viviane Stern da Fonseca-Kruel , curadora da Coleção Temática de Plantas Medicinais do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Local: sala multiuso do Museu do Jardim Botânico. Entrada gratuita.

Das 10h às 17h (última entrada às 16h) – Exposição “Mbae Kaá, o que tem na mata: Barbosa Rodrigues entre plantas e pajés” , sob a curadoria do SELVAGEM – ciclo de estudos sobre a vida. A exposição temporária que ocupa uma das salas do Museu do Jardim Botânico é baseada no livro “Mbae Kaá: a botânica nomenclatura indígena”, do naturalista João Barbosa Rodrigues (1842-1909), que foi diretor do JBRJ. Barbosa também foi um exímio ilustrador e vários de seus trabalhos podem ser vistos na exposição, que conta também com obras de artistas indígenas contemporâneos. Entrada gratuita.

Os visitantes também podem apreciar obras do artista indígena Denilson Baniwa criadas especialmente para o novo Museu do Jardim Botânico.

Acesso para todas as atividades pelo portão da Rua Jardim Botânico, 1008.

Por: Jardim Botânico do Rio de Janeiro 

COMPARTILHAR

Related posts

TSE aprova criação do PRD, resultado de fusão entre PTB e Patriota

Redação

Confira as datas de inscrição e aplicação do Enem 2023

Redação

Comida e kits de saúde são enviados para 30 mil indígenas atingidos pelas cheias

Redação

Deixe um comentário