Brasil Política Principais Notícias

Planalto: móveis do Alvorada já estavam ‘perdidos’ na gestão anterior

Em nota, Presidência afirma que relatório sobre imóveis “perdidos” do Palácio da Alvorada – parte deles abandonados em depósitos – foi iniciado e finalizado por equipe do antigo governo

A Secretária de Comunicação Social da Presidência da República (Secom-PR) informou nesta quarta-feira (20/3) que a gestão anterior, responsável pelo mobiliário a pela conservação do Palácio da Alvorada, não sabia onde estavam os móveis. Segundo a Secom, o relatório emitido em 4 de janeiro, já pelo atual governo, concluiu trabalho feito durante o governo Bolsonaro. Mas observa que a tarefa fora finalizada pela própria equipe da administração anterior. O documento, inclusive, já informava que 261 deles estavam perdidos.

A nota da Secom diz ainda que parte desse mobiliário estava “abandonada em depósitos e sem controle”. Além disso, ressalta que foi o governo atual que localizou o patrimônio perdido.

Leia abaixo a íntegra do texto:

O relatório que diz que 261 móveis estavam perdidos foi emitido no dia 4 de janeiro, concluindo um trabalho feito durante o governo Bolsonaro e finalizado pela equipe do governo anterior. Foi essa a informação recebida no início desta gestão. Ou seja, quem não sabia onde estavam os móveis era a gestão anterior, parte deles abandonados em depósitos e sem controle.

Só no segundo semestre de 2023 o atual governo conclui a busca por todos os móveis que estavam perdidos na gestão Bolsonaro em diversas dependências diferentes da Presidência da República – não só no Alvorada. O governo atual que localizou esse patrimônio perdido.

Os móveis que foram comprados para viabilizar a mudança do presidente ao Palácio do Alvorada foram os imprescindíveis para recompor o ambiente do Palácio de acordo com seu projeto arquitetônico, e não são os mesmos da lista de patrimônio perdido. Foram comprados para recompor o ambiente do Palácio que estava deteriorado, como foi mostrado inclusive por jornalistas.

Também não quer dizer que os 261 móveis encontrados estavam em condições de uso. O patrimônio adquirido não pertence, assim como todo o patrimônio do Alvorada, a um ou outro presidente, mas sim compõem o patrimônio e mobiliário presidencial.

Secretaria de ImprensaSecretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom/PR)

COMPARTILHAR

Related posts

Pagamento do Bolsa Família e Auxílio Gás de abril tem início nesta quarta-feira (17)

Redação

Primeiro seminário de 2024 do Cris/Fiocruz aborda a Agenda da Saúde Global

Redação

D. Space promove feira com a participação de criativos do Norte ligados ao design, decoração, moda e gastronomia

Redação

Deixe um comentário