Manaus Principais Notícias

Dia Nacional de Combate ao Câncer: mulheres são maioria na estatística do Amazonas

No Amazonas, 143,67 mulheres a cada grupo de 100 mil recebem o anualmente o diagnóstico do câncer, 28,5% a mais do que a projeção para homens, que fica em 111,78 para a mesma proporção. A taxa bruta de incidência, nome técnico que se dá a esse tipo de cálculo, é estimada pelo Inca (Instituto Nacional do Câncer), subordinado ao Ministério da Saúde (MS), e ponta, em ambos os casos, para a mesma necessidade: prevenção, diagnóstico precoce e tratamento em tempo hábil!

Nesta sexta-feira, 27 de novembro, comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Câncer. Neste ano, entidades de todo o país alertam sobre a importância da manutenção do tratamento oncológico, que por conta da pandemia do novo coronavírus, ficou em segundo plano, comprometendo as chances de sucesso terapêutico. Com o tema “O momento certo é agora. Não adie. Faça o tratamento!”, o Inca reforçou a tese. No Amazonas, estado cuja incidência tem aumentado, ao longo dos anos, a Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), apoia a causa.

A última projeção, lançada pelo Inca há mais de dois anos, aponta que o Amazonas registra 5.410 casos da doença ao ano, sendo a maior parte (3.020), em mulheres, o que não descarta a importância de ambos os sexos buscarem meios de rastreio e detecção precoce, afinal, estamos no Novembro Azul, mês voltado à saúde do homem, alerta o vice-presidente da ONG, médico mastologista Jesus Pinheiro.

Pinheiro explica que a principal característica do câncer continua sendo seu desenvolvimento lento e assintomático. Ou seja: sem dor ou sinais aparentes. “A proliferação das células cancerígenas, que tem início quando uma única célula não segue o curso natural das demais, e tenta se perpetuar, gera o que chamamos de tumor maligno, ou simplesmente câncer. Os primeiros sintomas, como a dor, por exemplo, só ocorrem quando a massa atinge algum tecido próximo, comprimindo-o, ou, quando alcança um volume significativo, causando obstruções, o que demonstra que já não está na sua fase inicial. Por isso, o check up médico, a partir dos 50 anos, principalmente, pode ajudar na detecção dessas alterações”, frisou.

Exames chamados de rastreio, como a mamografia, o preventivo ginecológico (Papanicolau) – para mulheres – , o de toque retal, o de dosagem do PSA – para homens -, entre outros, são necessários e podem salvar vidas, de acordo com o especialista. Jesus Pinheiro destaca que o  câncer está entre as doenças que mais matam no mundo. “Justamente porque o diagnóstico não ocorre, geralmente, na fase inicial. Quanto mais tarde a doença é descoberta, menores são as chances de cura”, afirmou o vice-presidente da Lacc.

Ao mesmo tempo, ele lembra que com o diagnóstico precoce, o percentual de sucesso no tratamento pode ser superior a 90%. “É uma questão lógica e matemática, que mostra que, quanto menos disseminada a doença está no organismo, menos invasivo é o tratamento e maiores são as probabilidades de cura através da terapia adotada”, assegurou.

Relaxamento

Sobre a pandemia do novo coronavírus, ele alerta que houve um relaxamento por parte da população com relação ao autocuidado e aos tratamentos. “Não é novidade para ninguém que os hábitos saudáveis de vida, como uma boa alimentação e a prática regular de exercícios físicos, previne doenças como o câncer. Mas, com a pandemia, muita gente aderiu aos fast-foods, parou de se exercitar e até abandonou o tratamento contra o câncer por medo de se contaminar, o que não foi uma boa ideia” comentou Pinheiro.

Ele lembrou que, quando o tratamento é interrompido, as chances de eficácia caem substancialmente durante a retomada. O indicado é que ele seja contínuo, e siga todas as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) para o momento, como o uso de máscaras, álcool gel 70% antisséptico, distanciamento social, entre outros. “Assim, é possível enfrentar o momento e manter a busca pela cura, afinal, a vida é uma só”, concluiu.

Sobre a Lacc

A Lacc é uma ONG com mais de 60 anos de atuação no Amazonas, prestando suporte a diversas ações de prevenção e assistência da FCecon e absorvendo pacientes em situação de vulnerabilidade, através de seus programas sociais. Para ajudar a instituição a manter o trabalho desenvolvido, basta acessar o site www.laccam.org.br e se cadastrar como doador, ou, ligar para o (29) 2101-4900 e agendar a doação e o mensageiro da ONG vai até a residência buscar a ajuda financeira. O contato também pode ser feito pelo whatsapp (92) 999776294.

Além disso, a Lacc dispõe de uma conta bancária para transferências onlines (especificações: Liga Amazonense Contra o Câncer – LACC CNPJ: 04.499.182/0001-48 Banco: Bradesco / Agência: 0482-0 / Conta Corrente: 691.017-3) e da modalidade de boleto bancário (https://lacc.doaeacao.com.br), para quem preferir.

Por Ana Carolina Barbosa

COMPARTILHAR

Related posts

Senado vai recorrer da decisão do STF que limitou piso da enfermagem

Redação

Portaria que regula redes sociais não extrapola lei, diz ministério

Redação

Famílias se unem para adotar irmãos biológicos

Redação

Deixe um comentário