Manaus Principais Notícias

Aprovados na Ufam e UEA dão dicas para vestibulandos, e ressaltam a importância de manter o foco

Entre as dicas, estão a prática de simulados e a resolução de questões que já fizeram parte de outros certames

Um dos momentos mais importantes de todo e qualquer aluno do Ensino Médio, sem dúvida, é o vestibular. Independentemente do curso escolhido, o nervosismo e a ansiedade acabam fazendo parte do processo. Por isso, nada melhor do que dicas e sugestões que possam ajudar a passar por esse período com tranquilidade e, claro, êxito.

Aprovado em Medicina tanto na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) quanto na Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Salomão Natal Rodrigues, 18, afirma que sua rotina consistia, além da escola, em responder questões que fizeram parte de outras provas. “Logo depois juntava todas ‘pontas soltas’ (partes de conteúdos que não tinha completamente o domínio). Estudava mais ou menos umas quatro horas por dia, e mesclava matérias: sendo uma de exatas e outras duas de humanas/linguagens”, explica ele.

Salomão, que foi aluno do Colégio Lato Sensu, conta que as aulas foram fundamentais para sua aprovação nos dois certames. “Ele (colégio) me deu toda a base necessária para construir um conhecimento sólido para os vestibulares, sem lacunas nos assuntos elementares, como Matemática Básica, dos quais se ter o domínio é essencial para não ficar ‘travado’ em um assunto mais complexo. Isso me deu vantagem tanto de tempo quanto de eficiência nos estudos”, comenta.

Entre as dicas salientadas por ele estão: constância (estudar todos os dias é a chave para a melhora de resultados, não adianta estudar 14 horas em um dia e passar dois dias sem estudar); fazer simulados regularmente (simular é essencial para ver como está seu conhecimento e seu controle de tempo, o Lato Sensu oferece simulados em alguns finais de semana e eles foram fundamentais para mim); não se comparar com outras pessoas (cada um tem seu tempo de evoluir e respeitar o próprio processo é importante para não se desmotivar no meio dele).

Segunda casa
            Aprovado em Direito pela UEA e em Administração pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), Fernando Ferreira Lima Neto, 17, afirma que no início teve dificuldade em criar uma rotina, mas após testes conseguiu estabelecer uma programação que consistia em usufruir ao máximo da explicação dos conteúdos na escola, dividir os exercícios entre de fixação de conteúdo e especializados para a banca específica, e reforçar a atenção em matérias como Matemática e Física.

            Também aluno do Colégio Lato Sensu, ele considera a escola sua segunda casa. “Ao longo do 3º ano, tentei usufruir ao máximo o conhecimento dos meus professores para conseguir absorver conteúdos e tirar dúvidas. O Lato não só meu ajudou dentro de sala como também fora dela, principalmente por meio da professora Keyla, que sempre me ajudava imprimindo provas antigas de vestibulares e me dando liberdade para frequentar o colégio em horários que não havia nenhuma atividade, apenas para que eu tivesse um local de estudos”, revela.

            Segundo Fernando, a dica mais importante é manter uma base de pessoas que queiram o mesmo objetivo que o vestibulando. “Não necessariamente o mesmo curso, mas alguém que também esteja disposto a abrir mão em prol de um objetivo maior. Manter amigos assim por perto é certeza de que haverá um companheirismo e uma parceria entre ambos, e também a garantia de ótimas histórias para contar sobre essa época”, orienta ele.

Metodologia
            Conforme Kamila Luz, coordenadora-geral do Ensino Médio do Lato Sensu, a escola busca a formação integral dos alunos, sempre se preocupando com seus valores e com a construção sólida do conhecimento. “Desde a Educação Infantil moldamos o hábito de estudo por meio de práticas pedagógicas concretas e que respeitam o desenvolvimento da criança. Já no Ensino Fundamental, nossos alunos são inseridos em processos cíclicos de avaliação, construindo a nossa cultura avaliativa que é reforçada no Ensino Médio, a partir de simulados externos, avaliações em larga escala e ‘simuLatos’ internos”, diz ela.

Ainda conforme a coordenadora, as práticas pedagógicas contemplam tanto os aspectos cognitivos quanto os socioemocionais, assim, a implementação do currículo é completa e assertiva, permitindo com que os alunos conquistem a aprovação nos processos seletivos e também que atinjam seus primeiros objetivos de vida. “Os nossos resultados de aprovações são realmente de excelência! Nossos alunos se dedicam diariamente para alcançar esse objetivo com muita disciplina e comprometimento. Nossa equipe e, principalmente, nosso quadro docente, é preparado e qualificado para impulsioná-los. Nossa excelência acadêmica e nossos valores essenciais se expressam por meio dos nossos resultados e nossa realização é o sucesso dos nossos alunos”, finaliza.

COMPARTILHAR

Related posts

Boa Vista sediará 1º Congresso Internacional sobre o Transtorno do Espectro Autista em abril

Redação

Lewandowski mantém no STF acusação de extorsão contra Moro e Deltan

Redação

Jovens da Amazônia lutam por protagonismo, empoderamento e reivindicações no Congresso da Juventude

Redação

Deixe um comentário