Manaus Principais Notícias

Mais de 100 crianças e adolescentes participam das Olimpíadas da Juventude da Floresta em Presidente Figueiredo

Conhecida como “a terra das cachoeiras”, o município de Presidente Figueiredo (distante 146 quilômetros de Manaus) recebeu pela primeira vez as Olimpíadas da Juventude da Floresta, da Fundação Amazônia Sustentável (FAS). O evento esportivo ocorreu na Vila Balbina, nos dias 6, 7 e 8 de julho e reuniu mais de 100 crianças e adolescentes em várias atividades esportivas.

A olimpíada é realizada pela FAS e tem o objetivo de fomentar o esporte entre os adolescentes de 10 a 17 anos e, dessa forma, fortalecer os direitos das crianças e dos adolescentes. A partir das atividades, a expectativa é de que os participantes levem o modelo de competição para as suas comunidades.

A estudante Luana Lindalva, de 15 anos, é da comunidade São Jorge e participou pela primeira vez de uma olimpíada. Para ela, estar em uma competição com os colegas comunitários é importante para aprender novas modalidades e levar para sua comunidade. 

“É uma oportunidade muito grande que está acontecendo para os jovens de Balbina e dos ramais próximos. Agradecemos por essa oportunidade, principalmente porque muitas vezes somos esquecidos. Na nossa comunidade, nós praticamos vôlei e futebol, mas agora com o evento, vamos levar vários esportes como aprendizado”.

Já a estudante Rose Nazareth Rodrigues, de 15 anos, da comunidade Marcos Freire, disse que o evento é importante porque muitos jovens precisam dessas atividades. 

“Eu nunca tinha saído assim da minha comunidade para ir jogar em outra. É a minha primeira vez aqui em Balbina, então está sendo uma experiência totalmente incrível. Pra mim, é importante porque a gente tem muitos jovens que precisam de eventos iguais a esses. O esporte é muito importante para nós que somos jovens. Perdendo ou ganhando, a gente veio para competir”, declarou.

Na quinta-feira, 6 de julho, a abertura do evento contou com a entrada das delegações, bandeiras, corrida olímpica, acendimento da tocha e pira olímpica e apresentações culturais dos estudantes. 

As atividades na sexta-feira, 7, começaram cedo. Às 9h, as equipes iniciaram o vôlei, na modalidade feminina e masculina. À tarde, foi a vez do cabo de guerra, corrida de saco, corrida de 100 metros, salto em distância e queimada. Além disso, as equipes participaram, à noite, de uma programação cultural das delegações com premiações.

No último dia da olimpíada, no sábado, 8, os estudantes competiram nas modalidades de dama e futebol. No período da noite, o encerramento do evento teve as premiações do primeiro, segundo e terceiro lugar.

O estudante Miguel da Silva, de 15 anos, da comunidade Nova Jerusalém falou sobre a competição. “Todos aqui gostam de esportes, assim como eu gosto de futebol, e é a primeira vez que eu estou vindo a uma competição”, afirmou.

A gerente do Programa de Educação para Sustentabilidade (PES) da FAS, Fabiana Cunha, explica que a fundação proporciona momentos de lazer e esporte por meio de qualificações realizadas ao longo do ano. Depois dessas atividades, é marcada a competição esportiva. Essa foi a primeira vez no município de Presidente Figueiredo.

“Essa edição da olimpíada marca o município por ser a primeira. Então, muitos desses jovens estão vivenciando isso pela primeira vez. A gente espera, através de um evento desses e desse trabalho, fortalecer cada vez mais os direitos das crianças e dos adolescentes nas comunidades porque a gente acredita que o esporte e o lazer de qualidade precisam ser presentes no dia a dia das crianças. Em um evento como esse, a gente mostra que é possível”, disse.

A educadora social do PES, Thais Soares, explica o diferencial do trabalho da FAS no município. Por ser de comunidades acessíveis por vias terrestres e não fluviais, como é o caso das comunidades ribeirinhas de outros municípios atendidos pela FAS, há diferenças nas abordagens. 

“Aqui nós temos o objetivo de fortalecer atividades voltadas para os direitos fundamentais, entrando nas áreas de assistência, saúde, esporte, lazer e educação”, comenta.
Incentivo educacional

Acompanhando seus alunos de perto durante a olimpíada, os professores destacaram a importância educacional do evento realizado pela FAS como forma de incentivar os alunos a escolherem suas profissões. 

“É um projeto maravilhoso que não dá somente diversão para os alunos, mas ensina que eles tenham autonomia da sua própria vida e história. E escolher no esporte o que eles querem [na profissão] para eles. É uma forma maravilhosa que incentiva a juventude, tanto no aspecto social quanto no profissional. Eles têm uma nova visão quando chegam nas suas casas e comunidades. Às vezes, o jovem não tem escolha na sua comunidade e a FAS oportuniza isso, ela abre esse leque de oportunidades e muitos [deles] abraçam com coragem e força”, afirma a pedagoga da comunidade Nova Jerusalém, Miracelma Pinheiro.

Da mesma forma, o professor de língua portuguesa na Vila de Balbina, Ronaldo Júnior, acredita que o projeto oferece oportunidades. “O esporte edifica e traz essas crianças que se encontram dispersas, muitas vezes, sem saber o que fazer da vida, dando um horizonte para elas. O que a FAS está fazendo hoje na Vila de Balbina é algo histórico e importante. Nós estamos orgulhosos de ter esse evento aqui”, afirmou.
Delegações

Divididos em sete delegações, as equipes tiveram nomes regionais e que simbolizavam suas comunidades como Açaí, Cupuaçu, Waimiri Atroari, Tucunaré, Lagoa Azul, Buritirana e Melancia.

Ao final da competição, a equipe Buritirana foi a vencedora, já a Waimiri-Atroari ficou com segundo lugar e a Cupuaçu em terceiro. Todas ganharam medalhas e o primeiro lugar garantiu um troféu.  Sobre as Olimpíadas na Floresta

A Olimpíada na Floresta é realizada ao longo de todos os anos em comunidades onde a FAS atua. O evento acontece deste 2017 e é realizado dentro das atividades do Programa de Desenvolvimento Integral da Criança e do Adolescente Ribeirinho da Amazônia (Dicara). O projeto em Presidente Figueiredo conta com apoio da Prefeitura de Presidente Figueiredo, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e Secretaria de Meio Ambiente do Governo do Estado do Amazonas (Sema/AM).Sobre a FAS 

A Fundação Amazônia Sustentável (FAS) é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos que atua pelo desenvolvimento sustentável da Amazônia por meio de programas e projetos nas áreas de educação e cidadania, saúde, empoderamento, pesquisa e inovação, conservação ambiental, infraestrutura comunitária, empreendedorismo e geração de renda. A FAS tem como missão contribuir para a conservação do bioma pela valorização da floresta em pé e de sua biodiversidade e pela melhoria da qualidade de vida das populações da Amazônia. Em 2023, a instituição completa 15 anos de atuação com números de destaque, como o aumento de 202% na renda média de milhares famílias beneficiadas e a queda de 40% no desmatamento em áreas atendidas entre 2008 e 2021.– 

Fonte: Up Comunicação Inteligente – Emanuelle Aráujo

COMPARTILHAR

Related posts

Ministério cria mesa de negociação com servidores do setor ambiental

Redação

Muy Gringo apresenta evento temático inspirado na série Stranger Things

Redação

Transplante capilar com fios da barba e tórax chega em Manaus

Redação

Deixe um comentário