Entretenimento Principais Notícias

Leandro Maia está na reta final de campanha para o seu novo disco

Cantor e compositor tem financiamento coletivo “Tudo ou Nada” na plataforma Catarse para realizar o trabalho inédito em vinil, Dois singles já estão nas plataformas digitais: Guaipeca (faixa-título do álbum) e Minha Barba é Meu Blush

Guaipeca: uma ilusão autobiográfica é o quarto disco de Leandro Maia, a ser lançado nos próximos meses. A canção que dá título ao trabalho já está disponível nas plataformas digitais desde fevereiro, quando o cantor e compositor abriu um financiamento coletivo para o álbum.

Para custear o disco em vinil, o autor oferece recompensas e recebe contribuições em campanha na plataforma Catarse, que fica aberta até 23:59 do dia 4 de abril de 2023. Até o momento, em menos de dois meses de adesão, Leandro Maia e equipe já arrecadaram 89% da meta de R$ 25 mil. Porém, é necessário atingir o valor todo para o registro em vinil sair, pois a campanha é na modalidade “Tudo ou Nada”.

A faixa 10 do álbum, Minha Barba é Meu Blush, também já foi lançada nas plataformas como single, no início de março. E a próxima canção do disco a chegar ao público será quem já viu (faixa 8), parceria de Leandro Maia com Ronald Augusto (letra), no dia 1º de abril.

Que bicho é esse? 

Guaipeca é como se chama o cachorro vira-lata. Uma palavra de origem indígena, muito utilizada no sul do país para o “cachorro de rua”, “bicho solto”.

O escritor e professor de Literatura Luís Augusto Fischer designa Guaipeca, em seu Dicionário de Porto-Alegrês (2007), o “cachorro de raça qualquer, ou melhor, de raça indefinida. Mais raramente se usa para gente interiorana e bruta, não acostumada com a cidade”.

Conforme o memorável escritor fronteiriço Aldyr Schlee, em seu “Dicionário da Cultura Pampeana Sul-Riograndense” (2019), o Guaipeca é um “cusco, cachorrinho, cachorro de pequeno tamanho e de raça indefinida”.

Guaipeca é avatar, o alter ego, o duplo que Leandro Maia escolheu para contar a sua “ilusão autobiográfica”, que se desenvolve em três eixos narrativos interligados: o amor, o humor e a política (crítica social).

Em Guaipeca, não se trata de louvar o complexo de vira-lata criticado por Nelson Rodrigues, mas de celebrar a vira-latinice do sul global. Guaipeca não tem complexo de vira-lata. A vira-latinice guaipeca descoloniza, ao mesmo tempo em que problematiza identidades e estereótipos. Para o vira-latino, fronteiras não são barreiras ou divisórias, mas superfícies de contato.

Guaipeca é uma canção, mas também um álbum composto de 12  canções autorais que serão lançadas a seguir. As músicas Milagres do Barão de Itararé, Infinito e Além (Ia) e Perto de Você foram compostas com apoio do 1° Concurso Ibero-Americano de Composición de Canción Popular IBERMÚSICAS.

O disco é inspirado na vida e nas obras de Aparício Torelly, Aldyr Garcia Schlee, Walter Ferguson, Zé da Terreira, George Orwell, Dona Conceição Rosa Teixeira, Rita Lee, David Bowie, Stevie Wonder, Henfil, Quino, Renato Russo e Tom Zé.

Sobre Leandro Maia 

Leandro Maia possui três discos autorais: Palavreio (2008, produzido por Pedrinho Figueiredo), Mandinho (2012, produzido por Leandro e Luiz Ribeiro) e Suíte Maria Bonita e Outras Veredas (2014, produzido por André Mehmari). Recebeu o 1º Prémio Ibermúsicas de Composición de Canción Popular, concedido pela Organização dos Estados Ibero-Americanos. Recebeu o Troféu Brasil-Sul de Música como intérprete, melhor projeto visual e melhor disco infantil (para Mandinho). Possui cinco Prêmios Açorianos de Música (Grupo MPB, Revelação, Intérprete, Disco Infantil), um Troféu RBS Cultura e diversas indicações como compositor e melhor espetáculo. Em 2020, lançou o filme Paisagens, dirigido por Juliano Ambrosini e Nando Rossa. 

Leandro Maia é PhD em Música (Songwriting) pela Bath Spa University, Mestre em Letras (UFRGS) e Licenciado em Música (UFRGS). É professor do Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), junto aos Cursos de Bacharelado em Música e Especialização em Artes.

Leandro Maia – Guaipeca – crédito: Patrick Tedesco

Serviço:

Campanha de financiamento do álbum Guaipeca: uma ilusão autobiográfica:

Até 04 de abril de 2023 em catarse.me/guaipeca

Faixas do disco:

1) Guaipeca

2) Perto de Você

3) Raining in Cahuita (para Walter Ferguson)

4) Infinito e Além (Ia)

5) On the same side

6) Deus na Laje – parceria com Pablo Lanzoni (música)

7) Feito São Thomé – parceria com Jerônimo Jardim (letra)

8) quem já viu – parceria com Ronald Augusto (letra)

9) Milagres do Barão de Itararé

10) Minha Barba é Meu Blush

11) Lurdes e o Esquerdomacho

12) As Vaca Ouvindo Mozart

Ficha técnica:

Produzido por Luciano Mello

Masterizado por Marcos Abreu

Gravado por Leandro Maia e Luciano Mello no Téu Téu Studio, Laranjal (Pelotas), entre julho e setembro de 2022

Editado e Mixado por Luciano Mello

Mixado por Luciano Mello no Quatro

Edição de vozes: Rodrigo Esmute Farias

Capa e Encarte, Arte e Fotografias: Patrick Tedesco

Guaipeca da Capa e Encarte: Rei Lucas Bibi de Mello e Tedesco

Links do artista:

https://www.leandromaia.com.br/imprensa

https://linktr.ee/Leandro.Maia

Por Isidoro Guggiana

COMPARTILHAR

Related posts

João Carlos Cavalo aponta time titular e admite pressão: “Manaus é o time a ser batido”

Redação

Ao lado de Israel e Rodolffo, João Bosco e Vinícius lançam terceiro volume de DVD

Redação

Deputada baiana lança livro Mulher preta na política

Redação

Deixe um comentário