Brasil Principais Notícias

Capital paulista tem madrugada mais fria do ano

Cidade permanece em estado de atenção para baixas temperaturas

A madrugada desta segunda-feira (15) foi a mais fria do ano na capital paulista, segundo dados do Centro de Gerenciamento de Emergência (CGE) da Prefeitura de São Paulo, com os termômetros atingindo média de 11°C, além de neblina e nevoeiros. A cidade permanece em estado de atenção para baixas temperaturas, decretado pela Defesa Civil municipal desde as 11h de quinta-feira (11).

Até então, a madrugada mais fria tinha sido registrada em 21 de abril, com 11,3°C de média na cidade e valor absoluto de 5,6°C na região de Parelheiros, no extremo sul da capital. No entanto, para valor absoluto, a madrugada de hoje não foi recorde, já que a menor temperatura foi de 8,6°C na região de Perus.

Os dados do CGE mostram ainda que o mês de maio acumulou até o momento 10,9 milímetros (mm) de chuva, o que representa aproximadamente 19,6% dos 55,5 mm esperados para o mês.

População de rua

O presidente do Movimento Estadual da População de Rua, Robson Mendonça, alertou para o grande risco de hipotermia para esse grupo se as madrugadas seguirem em baixas temperaturas. Segundo ele, com a retirada das barracas onde as pessoas dormem nas ruas, elas ficaram ainda mais vulneráveis.

“Tem falta de abrigos para atender toda a demanda, esse indivíduo fica nas calçadas. Com a retirada das barradas, ficou pior porque eles ficam expostas ao frio. A tenda que teria que ser na Praça da Sé não existe mais, foi retirada de lá [por causa do projeto de revitalização do centro]. Então para uma população que já está fragilizada, isso é um complicador muito grande”, disse. A tenda citada por ele era um serviço da prefeitura que oferecia sopa, bebidas quentes e cobertores na região.

No curto prazo, ele destaca a importância de abrigo imediato. “Ter mais abrigo [para essas pessoas] para essas baixas temperaturas. Tem que ter um lugar onde a população em situação de rua possa ser abrigada. Aqueles que têm cachorro e carroça também, que não podem entrar nos albergues, para que possam ter um abrigo”.

“A longo prazo, [precisa de] uma melhoria nos equipamentos de recebimento da população em situação de rua, que sejam criados mais abrigos e também tem a questão da locação social e moradia, essas coisas essenciais para abrigamento da população”, acrescentou.

Tempo

Para os próximos dias, a tendência, segundo o CGE, é de temperaturas baixas nas madrugadas e em gradativa elevação no decorrer do dia. A terça-feira (16) deve começar gelada, com formação de neblina e mínimas em torno dos 12°C. No decorrer do dia, o sol favorece a elevação das temperaturas, com máximas que podem chegar aos 24°C e índices de umidade atingindo valores próximos aos 30%. Não há previsão de chuva.

Situação de rua

A população de rua superou as 281 mil pessoas no Brasil em 2022. Isso representa um aumento de 38% desde 2019, após a pandemia de covid-19. Essa é a conclusão de um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado em fevereiro deste ano.

O estudo do Ipea alerta que o aumento de pessoas nas ruas é muito maior em proporção do que o da população em geral. No período de dez anos, de 2012 a 2022, o crescimento desse segmento vulnerável foi de 211%. Segundo dados do IBGE, o aumento populacional brasileiro foi de 11% entre 2011 e 2021.

Publicado por Agencia Brasil

COMPARTILHAR

Related posts

Agente de trânsito é flagrado multando motoristas em carro descaracterizado e estacionado em lugar proibido na zona Leste. Vejam o vídeo

Redação

Copa do Brasil: Flamengo volta a derrotar Grêmio e está na decisão

Redação

Prefeito de Manaus admite caos e diz que cidade só tem covas para “2 ou 3 meses”

Redação

Deixe um comentário