Brasil Principais Notícias

Passageira diz que motorista do app tentou dopá-la com spray químico

Uma passageira relatou que foi dopada por um motorista de transporte por aplicativo com um spray químico lançado no ar dentro do carro, durante corrida na noite desta terça-feira (10).

Em nota, o aplicativo 99 afirmou que bloqueou o motorista e mobilizou uma equipe para dar suporte à passageira. A postagem denunciando o caso foi feita nas redes sociais da vítima, nesta quarta-feira (11).

O caso aconteceu com a fotógrafa Bruna Custódio, de 32 anos, que contou à reportagem do G1, que saía do trabalho por volta das 20h30 na Vila Mariana, na Zona Sul, quando pediu o carro da 99 para encontrar amigas em Pinheiros, na Zona Oeste.

“Ele andou mais ou menos 2 km, quando chegou perto da Rua Domingo de Morais. Quando parou no farol, ele olhou para trás e fechou o vidro dele. Eu comecei a sentir o cheiro forte, cada vez mais forte. Mas tudo aconteceu muito rápido. Aí eu comecei a ficar tonta”, diz Bruna.

Ainda de acordo com a fotógrafa, o motorista não fechou o vidro dela. Ela chegou a colocar a cabeça para fora da janela, mas foi ficando cada vez mais zonza.

Mulher denunciou nas redes sociais a tentativa de dopagem que sofreu por parte de um motorista de app que utilizou um spray químico. (Foto: Reprodução/Instagram)
Mulher denunciou nas redes sociais a tentativa de dopagem que sofreu por parte de um motorista de app que utilizou um spray químico. (Foto: Reprodução/Instagram)

“Coloquei a cabeça pra fora pra sentir o ar e pra ver se não estava vindo de fora o cheiro, porque tinha um caminhão [perto]. Mas eu voltei a cabeça pra dentro e o cheiro vinha claramente de dentro. Aí o farol abriu, ele andou, e eu comecei a ficar mais zonza e com a visão turva. Parecia que o carro estava cheio de pó branco, mas era minha visão.”

A fotógrafa contou ainda que pediu para que o motorista parasse o carro imediatamente, e mandou mensagem para sua namorada. Ela também tirou uma foto do veículo.

“Eu saí e fiquei com medo de fazer alguma coisa porque estava ficando mais tonta. Se eu demorasse mais um pouco acho que não conseguiria nem mandar mensagem.”

Bruna relata que agiu rápido pedindo para descer do veículo porque o mesmo já havia acontecido com uma amiga havia cerca de dez dias. Há também relatos semelhantes nas redes sociais de mulheres de outros estados.

Sobre o caso da fotógrafa a 99 se posicionou em nota e lamentou o ocorrido.

Confira a nota:

“A 99 lamenta profundamente o ocorrido com a passageira Bruna Custódio. Assim que tomamos conhecimento, bloqueamos o motorista e mobilizamos uma equipe que está em contato com a Bruna para acolhimento e suporte necessários.

Ressaltamos que a empresa não tolera e repudia qualquer forma de assédio. Investimos constantemente em ferramentas de segurança para a prevenção, proteção e acolhimento de todos os usuários, principalmente para as passageiras. Entre as medidas estão a opção de compartilhar rota com contatos de confiança, monitoramento da corrida, gravação de áudio e botão para ligação direta para a polícia.

Passageiras que tenham experienciado essa situação devem reportar imediatamente para a empresa, por meio de seu app, ou no telefone 0800-888-8999 para que as medidas cabíveis sejam tomadas. Trabalhamos 24 horas por dia, 7 dias por semana, para cuidar da proteção e suporte dos usuários.”

As informações são do G1.

COMPARTILHAR

Related posts

Carro mais caro do mundo custa R$100 milhões

Redação

Cientistas descobrem planeta gigante ‘que não deveria existir’

Redação

Bolsonaro terá ‘centrão’, mas impeachment pode avançar se houver apoio popular, dizem autores de pedido

Redação

Deixe um comentário